Dicas de um especialista para registrar sua viagem com o Mavic Air

Acima, o Mavic Air, pequeno e de alta performance; ao lado, a beleza dos Parrachos de Maracajaú, em Natal (RN)

Para o experiente jornalista e fotógrafo Tales, especialista em reportagens de turismo, o drone DJI Mavic Air é um instrumento fantástico para a fotografia de viagem. Apesar do tamanho reduzido, surpreende pela qualidade das imagens. A lente fixa equivalente a grande angular de 24 mm é ideal para enquadrar paisagens e não provoca distorções (como a curvatura do horizonte). Tem ótima qualidade óptica e gera arquivos com um nível de nitidez elevado no centro e nas bordas da imagem.
Tales Azzi é um dos pioneiros no Brasil no uso de drone em reportagens de turismo – veja imagens feitas por ele no Instagram @talesazzi. Aqui, ele dá 10 dicas importantes para quem quer usar o superportátil Mavic Air para registrar viagens.

Parrachos de Maracajaú, em Natal (RN)

• 1 É fundamental praticar voos seguros, seguindo as regras estabelecidas pela ANAC para o uso de drones. Atento a isso, a pilotagem do aparelho será bem mais tranquila.

• 2 Antes de cada decolagem, o ideal é estudar a área pelo Google Earth para escolher quais pontos serão registrados pelo drone e assim definir um roteiro. Mas, fique atento à autonomia da bateria. A pesquisa prévia do espaço vai permitir também escolher o ponto de decolagem, de preferência em local aberto e sem obstáculos próximos. Quanto mais perto do tema escolhido você puder ficar, melhor, pois ganhará mais tempo captando imagens.

• 3 Regiões serranas e lugares como a costa do Ceará ou do Rio Grande do Norte costumam ter ventos fortes. Os drones da DJI têm excelente estabilidade nessas situações, só que, ao voar contra o vento, o aparelho encontra resistência, a velocidade diminui bastante e o consumo de bateria aumenta. Portanto, em situações de ventania, redobre a atenção. Mantenha o GPS habilitado e sempre inicie o percurso contra o vento. Assim, quando a bateria estiver no final, será mais fácil e rápido retornar com o vento a favor.

• 4 É preciso ter atenção redobrada em voos de baixa altitude, na altura de árvores e postes elétricos. Os sensores e o Sistema Avançado de Assitência ao Piloto (APAS) do Mavic Air são muito eficientes, mas podem não captar fios elétricos ou galhos de árvore secos e finos demais. Evite também sobrevoar lagoas, rios e mares a menos de 10 metros de altura.

• 5 Nunca decole antes de o Return to Home (RTH) estar habilitado. É a sua garantia de que o drone voltará para o ponto de partida no caso de perda de sinal de rádio. Respeite sempre o aviso de bateria crítica e retorne imediatamente, mesmo com a tentação de continuar captando imagens.
• 6 Mantenha o sistema Vision Positioning System (VPS) sempre calibrado e o aplicativo DJI GO 4 atualizado.

• 7 Para melhorar as imagens, uma dica é usar o filtro polarizador. Esse filtro retira brilhos das superfícies e aumenta a saturação das cores. Dá outra vida e melhora muito as imagens de paisagens.

• 8 Preste sempre atenção ao alinhamento do horizonte, pois imagens com horizonte torto não ficam legais. Faça o ajuste da rotação do gimbal pelo aplicativo DJI GO 4.

• 9 Em situações de contraluz para fazer fotos, a dica é usar a técnica do bracketing de exposição, para 3 ou 5 capturas, dependendo do contraste da cena. Depois, no computador, faça a fusão das fotos para criar uma imagem em HDR (High Dynamic Range).

• 10 Comece captando imagens mais alto e depois vá baixando até chegar num ponto em que seja possível ter um primeiro plano na cena, o que dá profundidade à imagem. Isso garante uma boa variedade de capturas e ângulos de tomada.

Para saber onde encontrar o drone DJI Mavic Air, acesse:
http://bit.ly/DJIMavicAirViajeMais

O fotógrafo e jornalista Tales Azzi, editor da revista Viaje Mais

 

Compartilhe
error: Content is protected !!